22/10/2014

Scones de Laranja & memórias afetivas

A receita de hoje me remete ao ano de 2003, quando recebi em casa (digo, na de meus pais, pois eu ainda era solteira) a minha penfriend (= amiga por correspondência).
Tudo começou em 1991, quando eu ainda estava no colegial (sim, naquela época falávamos colegial e não ensino médio rs). Um belo dia, a minha professora de inglês perguntou se alguém queria se corresponder via carta com pessoas de outros países para praticar o inglês.
Eu nem pestanejei e de imediato me ingressei no IYS (International Youth Service), uma associação Finlandesa, onde pessoas do mundo todo se correspondiam através de cartas para fazerem amizades e praticarem um idioma. Talvez fosse a rede social da época ou o whatsapp rsrs.
Bom, primeiramente enviei uma carta para a minha penfriend dos EUA, mas ela nunca me respondeu... =( Acho que escrevi tão errado que ela assustou rsrs. Fiquei triste e decepcionada por ficar sem resposta, mas depois de um tempo recebi uma carta da Áustria, e durante todo o ano de 92 me correspondi com uma Austríaca. Infelizmente, quando enviei o cartão de Natal para ela naquele mesmo ano, nunca mais tive notícias...
Eis que em Janeiro de 1993 recebo a primeira carta de uma Britânica chamada Philippa, a Pippa. Foram anos e anos de correspondência e muitas cartas depois, em 2003 ela veio para o Brasil. Durante sua estadia, aprendi tantas coisas... E num belo dia, pedimos à ela que nos cozinhasse algo tipicamente Britânico. Foi quando fui apresentada pela primeira vez aos scones. Ela nos preparou esses delicados pãezinhos e os serviu com chantili e geleia de morango. E eu, claro, fiz brigadeiro para ela rsrs...
Depois de aproximadamente 1 mês em casa, ela voltou para a Inglaterra e dois anos depois voltou a nos visitar, em 2005, o que nos deixou felizes pois acho que ela não voltaria se não tivesse gostado rsrs. Depois dessas visitas, eu finalmente fui para o Reino Unido, em 2006, realizando um dos grandes sonhos que sempre tive,  em um dos momentos mais difíceis da minha vida, pois o meu pai perdera quase tudo devido à um de seus maiores clientes. Esse golpe nos deixou sem recursos nenhum e por anos à fio e ainda hoje carregamos esse fardo. Mas isso não vem ao caso, o que eu quero dizer é que mesmo nas tempestades é possível ter um arco-íris! Fiquei quase 40 dias no Reino Unido com a Pippa e pude conhecer sua família, seus amigos e seu avô, o Harry, por quem me apaixonei! Uma pessoa linda e sábia, simplesmente adorável! Pude visitar não somente a Inglaterra, mas um pedacinho do País de Gales e também da Escócia. Contrariando o que dizem algumas pessoas, os ingleses não são fleugmáticos (bonita palavra, não?), aliás não gosto de esteriótipos desse tipo. Para a frieza que eu esperava, fui muito bem acolhida e amada pelos familiares dela. Penso muito em voltar, para ainda dar tempo de visitar o avô dela que ainda é vivo e que, creio eu deva estar com mais de 95 anos. Vamos ver se consigo visitá-los. O único problema é que atualmente a minha amiga está morando em Washington, nos EUA, e eu sempre me divido: não sei se vou para os EUA, lugar onde nunca estive ou se volto para a Reino Unido... Ó dúvida cruel... dilemas, dilemas...
Bom, voltando ao assunto, sempre que é possível, e agora as tecnologias nos aproximam cada vez mais, Pippa e eu nos falamos via Internet. Nosso último bate-papo foi durante a Copa, no jogo em que a Inglaterra foi eliminada. Ela estava em um pub nos EUA falando comigo aqui no Brasil e ao mesmo tempo com o irmão na Inglaterra. Num certo momento da conversa comentamos: que fantástica essa internet! E nesse mesmo dia, falamos também de comida,  de chefs favoritos etc. Ela, sabendo do meu aniversário em Agosto, disse que me enviaria um livro de receitas, de uma autora que a mãe dela gosta muito:  Marguerite Patten, uma cozinheira que ficou famosa em programas de culinária na TV, no final dos anos 40.
O livro chegou antes do meu aniversário, confirmando a pontualidade Britânica de minha amiga.
Desde então, venho folheando esse magnífico livro, o qual trouxe para dentro de minha casa um pouquinho de um país que gosto tanto.
O livro Marguerite Patten's Best British Dishes é puro deleite! Agradeço mais uma vez à minha amiga  Pippa por me fazer sentir em terras Britânicas!
E é com muito carinho e com o coração transbordando de alegria, que reproduzo essa receita!
 Scones de Laranja
Receita levemente adaptada do maravilhoso Marguerite Patten's Best British Dishes
Tempo de preparo: 10 minutos
Rendimento: 12 a 18 unidades

225g de farinha de trigo com fermento*
1 pitada de sal
50g de manteiga em temperatura ambiente
50g de açúcar refinado
150ml de leite integral, também em temperatura ambiente
Raspas de 2 laranjas

Preparo
1. Em uma tigela média, peneire juntos a farinha de trigo com fermento e o sal.
    1.1{se vc não tiver farinha de trigo com fermento, não tem problemas. Basta adicionar à farinha de trigo sem fermento 2 e 1/2 colheres (chá) de fermento em pó (tipo Royal), ok? Cuidado para nivelar bem o fermento, não coloque nem demais nem de menos}
2. Acrescente a manteiga na mistura de farinha e sal, adicione o açúcar, o leite, as raspas de laranja e misture tudo até obter uma massa leve, a qual consegue-se abrir com o rolo.
3. Abra a massa sobre uma superfície enfarinhada, na espessura de +/- 2cm, e corte-a com o auxílio de um aro redondo ou, caso não possua esse utensílio, utilize a boca de um copo para cortar a massa.
4. Coloque os discos de massa sobre uma forma não-untada (vai bastante manteiga na massa, por isso não há necessidade de untá-la).
5. Leve ao forno preaquecido (220° C) e asse os scones por 10 minutos ou até que a lateral deles esteja firme quando pressionada gentilmente.
6. Após assados, deixe-os descansando sobre uma grade.
7. Sirva-os com manteiga, geleia ou o que preferir.

Bom apetite!
Um ótimo dia à todos!
Cintya Maria

PS: segue um vídeo fofo da Marguerite cozinhando para um programa da BBC.



4 comentários :

  1. Achei linda essa sua amizade primeiro por carta e agora com as novas tecnologias fica mais fácil falar.
    Gosto muito de scones e raramente faço,os seus ficaram bem lindos
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Amiga querida, adorei conhecer um pouquinho da sua história com sua amiga Pippa. Que gostosa essa conexão que fazemos e o melhor mantemos com amigos que nem sonhávamos um dia conhecer. Muito linda essa passagem de sua vida, em meio a tristezas que são um verdadeiro tsunami em nossas vidas abalando a família inteira (sei por que já tive um caso parecido na família) mas o mais bacana, como vc disse um arco iris chegou em meio a uma amizade que dura até hoje. Adorei os scones,ficaram lindos. E tira uma curiosidade, pois vc não mencionou, a primeira vez que sua amiga provou o brigadeiro o que ela achou? Hehehe. Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Oi Cintya, tudo bem?
    Adorei ler seu relato! Sabe que eu nunca me correspondi com ninguém assim, só na era da internet mesmo, mas deve ter sido uma experiência muito bacana e enriquecedora.
    Eu nunca estive na Europa, mas adoraria conhecer tanta coisa por lá, principalmente a Inglaterra.
    Já comi scones nos EUA e são deliciosos, e engraçado que sempre achei que seria muito complicado de fazer e pela sua receita vi que não é não.
    A respeito das adversidades da vida, engraçado, me vi na sua história. Mas acho que tudo o que passamos serve para nosso crescimento e nada acontece por acaso ou em vão. Estamos aqui, lindas e loiras pra provar que a gente sobrevive não é mesmo? Rs...
    Adorei vir aqui no seu cantinho!
    Beijos,
    Fla - www.artenacozinha.com

    ResponderExcluir
  4. Cintya, tudo bom?
    Adorei esse post, conhecer mais um pouquinho de sua fase de correspondências, o que me levou a lembrar de uma tia que conheceu seu atual marido dessa forma. E outra parente que se correspondia com estrangeiros...
    Quanto aos scones, acredita que continua na lista dos desejos?
    Boa semana!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e volte sempre!